Turn the Tide on Plastic navega "escondido"

Turn the Tide on Plastic navega “escondido”

Carrocel, Destaque, Noticias, Vela

Turn the Tide on Plastic navega “escondido”

A velocidade pura é o principal factor de desiquilibrio na descida rumo a sul com o Turn the Tide on Plastic oculto dos demais.

O Dongfeng Race Team de Charles Caudrelier conseguiu ampliar a sua vantagem sobre os seus principais perseguidores, MAPFRE, Akzonobel e Vestas 11th Hour Racing e tem agora uma distância superior a 10 milhas à passagem pelas ilhas de Cabo Verde.

À medida que a maratona se aproxima de sul o Dongfeng foi novamente o barco mais veloz da frota, marcando 20 nós de ponta com 16 nós de vento devido em parte ao facto de estar a navegar com um ângulo ligeiramente mais fechado que os outros.

Obviamente que uma vantagem de 12 milhas ao sexto dia de uma etapa de 7.000 millas não é significativa, especialmente quando dentro de dois dias terão que enfrentar os Doldrums, tácticamente uma das zonas mais importantes desta segunda etapa.

Estamos a umas 560 millas de onde esperamos que comecem os Doldrums, pelo que realmente agora tudo consiste em navegar para sul“, comentou o tripulante do Vestas 11th Hour Racing, Simon Fisher, feliz com a posição que ocupam actualmente.

Por agora trata-se de velocidade pura, tratando de chegar a sul o mais rápido que consigamos. Uma vez que nos aproximemos dos Doldrums, tratar-se-à de ajustar a nossa posição e depois percebermos se nos conseguimos mover para este ou oeste para os atravessarmos“, afirmou.

Pela primeira vez nesta edição, uma equipa desapareceu do tracker. O Turn the Tide on Plastic optou por entrar em modo sigilo, pelo que a sua posição está oculta aos seus adversários durante 24 horas.

Capitaneado pela britânica Dee Caffari, ela comentou que esperava que o desaparecimento temporário da sua equipa da classificação lhes desse uma força crucial no jogo psicológico da Etapa 2.”Estamos a recuperar lentamente a desvantagem para o Scallywag e o Brunel, e gostaria muito de reverter essa situação a nosso favor“.

Sei que o conceito [do modo sigilo] foi criado para nos incentivar a tomar algumas decisões audazes e para que haja mais dinâmica na frota, mas neste caso é apenas para ajudar a plantar a semente da dúvida na mente dos nossos adversários sobre quanta força extra de vento podemos estar a obter a oeste“, acrescentou.

O Team Brunel, na quinto posição e a apenas 35 milhas dos líderes, teve que lutar para conseguir reparar um ‘outrigger’ danificado. Depois do esforço que envolveu vários membros da equipa, coube ao recém eleito “Regatista do Ano”, Peter Burling, voltar a pôr o barco à velocidade máxima.

O Sun Hung Kai / Scallywag está a cerca de 90 milhas atrás dos líderes, em sexto lugar, mas os ânimos continuam altos a bordo.

O que de facto me surpreende é a proximidade da frota“, comentou o skipper David Witt. “Vamos entrar nos Doldrums a não mais de 50 milhas de distância entre o primeiro e o último, quando no passado vimos barcos a perder entre 50 a 300 milhas lá. Esta etapa está muito longe de terminar“.

Etapa 2 – posições – Sexta-feira 10 de Novembro (Dia 6) – 13:00 UTC

1.Dongfeng Race Team — distancia à meta– 4,062.4 milhas náuticas

2. MAPFRE +12.2

3. Vestas 11th Hour Racing +14.5

4. team AkzoNobel +22.7

5. Team Brunel +35.3

6. Sun Hung Kai/Scallywag +82.9

?. Turn the Tide on Plastic – Modo Sigilo até às 19:00 UTC

 

Leg 02, Lisbon to Cape Town, day 05, on board MAPFRE. Photo by Ugo Fonolla/Volvo Ocean Race 2017