O Dongfeng em modo “stealth”

O Dongfeng em modo “stealth”

Carrocel, Vela

O Dongfeng em modo “stealth”

O Dongfeng Race Team, jogou a última cartada numa tentativa de recuperar a liderança da 3ª etapa, quando entraram em modo “stealth”.

A decisão do skipper Charles Caudrelier, e do navegador Pascal Bidégorry significa que o Dongfeng vai “desaparecer” do mapa durante 24 horas, assim esta etapa com pontos a dobrar atinge o seu clímax.

A equipa de Caudrelier liderou durante os primeiros dez épicos dias no Oceano Índico, nesta etapa de 6.500 milhas que liga a Cidade do Cabo a Melbourne, mas foram ultrapassados pelo MAPFRE na quarta-feira.

MAPFRE e Dongfeng cambaram quase simultaneamente cerca das 22:00 UTC de quinta-feira, apontando os seus rumos para Melbourne, com isto, começou o sprint final para a linha de chegada.

Pouco depois, o Dongfeng notificou o Race Control de que eles entraram no modo “stealth”, o que os esconderá do resto da frota até às 19:00 UTC de hoje.

Com menos de 1000 milhas ainda pela frente, o movimento audaz da equipa de Caudrelier prova que eles ainda não perderam a esperança de ganhar.

No MAPFRE, o navegador Juan Vila trabalhou horas extra, não só para traçar o melhor rumo para a sua equipa, mas também para avaliar as opções teóricas do Dongfeng.

Apesar de uma vantagem razoavelmente confortável, eles sabem que devem permanecer com a máxima concentração nas últimas 48 horas, para manter o Dongfeng atrás.

Os últimos relatórios de posição foram muito bons para nós e temos uma boa vantagem, mesmo que o Dongfeng se tenha “escondido”, disse o skipper Xabi Fernández. “O Juan (Vila) verifica as suas opções e nós temos um palpite sobre quais podem ser. Temos que aguardar agora para descobrir mais tarde – é por isso que continuamos o mais rápido possível.

Desesperados para apanhar o Vestas 11th Hour Racing, que é terceiro apenas a 10 milhas à frente, o Team Brunel foi momentaneamente apanhado por uma rajada de vento que fez o Volvo Ocean 65s ficar de lado .

Provavelmente estava a puxar um pouco demais quando ficamos de lado, íamos a cerca de 20 nós“, explicou o timoneiro Peter Burling. “Tivemos muita sorte, pois houve rajadas de 40 nós mais tarde. A equipa fez um óptimo trabalho deixando o jib de fora muito depressa, e colocaram o barco direito novamente. Nós treinamos isso algumas vezes, e agora todos sabem o que fazer “.

A batalha pelo quinto lugar continua entre os velhos rivais, Team Sun Hung Kai / Scallywag, liderados por Dave Witt, e o Turn the Tide on Plastic de Dee Caffari

Sessenta e seis milhas separam as duas equipas, mas essa distância poderá facilmente ser reduzida se o Scallywag errar na altura de virar para norte.

As condições não são óptimas – temos entre 25 a 30 nós de vento e um estado do mar muito duro“, disse o navegador de Scallywag, Antonio Fontes “Estamos na luta. A grande opção agora é saber quando vamos virar para norte. Obviamente, que nos sentimos pressionados pelo Turn the Tide on Plastic. Temos de manter a nossa velocidade até ao final “.

 

3ª etapa – Classificação geral – sexta-feira, 22 de dezembro (dia 13) – 13:00 UTC

1 – MAPFRE – distância até o final – 812,2 milhas náuticas

2 – Dongfeng Race Team — “Stealth Mode” até 19:00 UTC

3 – Vestas 11th Hour Racing +191.4

4 – Brunel +201.6

5 – Sun Hung Kai / Scallywag +368.8

6 – Turn the Tide on Plastic +437.3

7 – AkzoNobel +730.0