Nos limites até Melbourne!

Nos limites até Melbourne!

Carrocel, Vela

Nos limites até Melbourne!

O MAPFRE aumentou a diferença sobre os adversários do Dongfeng Race Team, enquanto a 3ª etapa da Volvo Ocean Race se aproxima do final.

Enquanto a linha de chegada não está à vista, o elemento mais importante desta batalha é o espelho retrovisor dos líderes.

Determinados a conquistar outra vitória depois de vencerem a 2ª etapa de Lisboa para a Cidade do Cabo, o skipper do MAPFRE Xabi Fernández, tem levado a sua equipa aos limites para chegar a Melbourne na frente.

Num esforço para ficar à frente do Dongfeng, depois de passar para a liderança da 3ª etapa, o MAPFRE durante esta noite mudou de rumo 16 vezes em menos de 12 horas, enquanto contornavam a Zona de Exclusão de Gelo Antártica (AIEZ).

Leg 3, Cape Town to Melbourne, day 12, on board AkzoNobel

Foi o dobro do Dongfeng, com cada mudança de rumo a exigir um esforço físico incrível dos tripulantes, para não mencionar a desaceleração do barco cada vez que mudam de rumo.

No entanto, o trabalho duro compensou – e às 13:00 UTC o MAPFRE mais do que duplicou a liderança de ontem, passou para 30 milhas náuticas, com menos de 1.300 milhas restantes.

O AIEZ, implementado pelo controle da regata para manter a frota longe do perigo de icebergs, começou a baixar para sul, o que permitiu à dupla da frente descer para apanhar melhor vento.

Uma vez que têm o ângulo certo nos ventos de oeste, ambos irão apontar em direção a Melbourne, e dar tudo por tudo até à linha de chegada.

O último dia foi completamente louco aqui no MAPFRE”, disse Fernández. “Nós fizemos tantas manobras. Temos que ir para o sul agora e chegar à baixa pressão, é por isso que tivemos que fazer tantas manobras. É muito difícil, mas valeu a pena. Agora podemos navegar para sul durante todo o dia e noite, e amanhã de manhã iremos e rumar a norte, para Melbourne.

O Brunel, mantém-se a 35 milhas do Vestas 11th Hour Racing que é terceiro , no último relatório de classificações, mantendo vivas as esperanças do skipper Bouwe Bekking em garantir um primeiro pódio nesta edição.

No sexto lugar, o Turn the Tide on Plastic está a 400 milhas do MAPFRE, a skipper Dee Caffari disse que o humor sombrio está a passar graças a uma melhora nas previsões meteorológicas, que permitem evitar ser engolidos por um grande sistema de alta pressão, e com isto chegar a Melbourne mais cedo do que pensavam.

Não parece tão sombrio quanto antes e isso dá-nos esperança”, disse Caffari. “Nós tivemos três relatórios de posição seguidos que eram realmente muito maus, e a moral foi abaixo. Eu sou e costumo ser positiva, mas desta vez não foi fácil. No entanto, finalmente tivemos algum vento que os outros que nos rodeiam não tiveram, e estamos a progredir na direcção certa“.

Enquanto isso, grupos de baleias minke proporcionaram ao Team Sun Hung Kai / Scallywag, quinto, e ao sétimo AkzoNobel, alguma distracção, enquanto elas passaram muito mais rápidas do que os Volvo Ocean 65s.

Não é todos os dias que você navega pelos mares do sul com oito companheiros e um OBR, e vê esse tipo de coisas“, disse Tom Clout, do Scallywag. “Foi um pequeno momento muito bom – que vamos recordar para o resto das nossas vidas“.

Os ETA’s atuais têm o MAPFRE e o Dongfeng a chegar no dia 24 de dezembro (UTC); Vestas, Brunel, Scallywag e Turn the Tide on Plastic no dia de Natal; e o AkzoNobel a 27 de dezembro.

 

3ª etapa – Classificação geral – Quinta-feira 21 de Dezembro (Dia 12) – 13:00 UTC

1 – MAPFRE – distância até ao final – 1.285,2 milhas náuticas

2 – Donfeng Race Team +30,2 milhas náuticas

3 – Vestas 11th Hour Racing +122.8

4 – Brunel +158.7

5 – Sun Hung Kai / Scallywag +335.8

6 – Turn the Tide on Plastic +401.1

7 – AkzoNobel +575.8

Photo: Jen Edney/Volvo Ocean Race