"Não vou baixar os braços"

“Não vou baixar os braços”

Carrocel, Destaque, Noticias, SilkWay Rally

“Não vou baixar os braços”

Foi com esta expressão que Stephane Peterhansel terminou o dia de ontem, mais um entre todos aqueles em que se viu assombrado por problemas. Só quem não conhece este piloto poderia duvidar disso!

  • Stéphane Peterhansel e Jean-Paul Cottret rubricaram o melhor tempo na 6ª etapa do Silk Way Rally. Depois das dificuldades dos dois últimos dias, a dupla cortou hoje a linha de chegada com 15 minutos de avanço sobre os seus colegas de equipa Sébastien Loeb e Daniel Elena.
  • Apesar de ser uma etapa complicada em termos de navegação, o Peugeot DKR Maxi mantém-se na frente da Geral. Loeb e Elena alcançaram rapidamente Cyril Despres e David Castera (ao km 200), seguindo-se alguns erros de navegação que lhes custaram mais de 10 minutos nos primeiros 100 km. Os ainda líderes da prova terminaram a etapa com o 2º melhor tempo.
  • No seguimento da sua vitória de ontem, Despres e Castera abriram a pista esta manhã, sendo os primeiros a ter de se esforçar bastante para encontrar o percurso correto, vindo a terminar a etapa no 9º lugar, a 31 minutos do tempo de referência, algo que lhes permitiu manter o 2º posto da Geral.

 

A ETAPA EM RESUMO

A 6ª etapa do Silk Way Rally 2017 conduziu os concorrentes de Semey a Urdzhaz, integrando uma especial de 387 km que escondia diversas armadilhas para as equipas. A navegação revelou-se, por isso, crucial para se obter bons tempos, mas foi particularmente difícil para a dupla do Team Peugeot Total que abrira a pista.

Desejoso de esquecer as duas anteriores jornadas mais complicadas, Stéphane Peterhansel aumentou o ritmo e ultrapassou diversos concorrentes que tinham arrancando à sua frente, naquela que foi a última etapa inteiramente corrida no Cazaquistão, nas pistas de terra e vegetação selvagem. Amanhã o “Dream Team” entrará na China.

 

O QUE ELES DISSERAM…

Stéphane PETERHANSEL, piloto Team Peugeot Total

Vencedor da Etapa / 10º da Geral (autos)

“Até agora, foi a especial mais bonita de todo o rali. Arrancámos nas estepes antes de entrar numa zona montanhosa a meio da especial, numa paisagem mesmo impressionante! O nosso Peugeot portou-se muito bem e não tivemos um único problema durante a etapa. Chegamos ao deserto na 24ª posição, pelo que foi preciso ultrapassar muitos outros automóveis e alguns camiões, algo por vezes complicado. Tenho agora como objectivo ajudar os meus companheiros do Team Peugeot Total. Pessoalmente, apenas estou interessado na vitória, mas do ponto de vista desportivo, mesmo que a prova não seja a mais interessante, tenho ainda um papel importante a desempenhar no seio da Peugeot. Mesmo assim, espero que possamos voltar a estar entre os 5 primeiros.”

 

Sébastien LOEB, piloto Team Peugeot Total

2º lugar na Etapa / 1º da Geral

“Ultrapassámos o Cyril ao cabo de 200 km da Especial. Mais uma vez, a navegação foi bastante complicada: perdemos muito tempo à procura de uma pista boa, cometemos alguns erros e andámos perdidos por diversas vezes. Os camiões que arrancaram antes de nós deixaram rastos muito profundos para a condução e que nos atraiçoaram bastante. Perdemos muito tempo nos primeiros 100 km de prova. Mesmo não sendo dramático, não me agradou muito.”

 

Cyril DESPRES, Piloto Team Peugeot Total

9º lugar na Etapa / 2º da Geral

“Foi verdadeiramente uma bela etapa ao longo das montanhas, mas é sempre complicado abrir a pista. Cometemos erros de navegação, mas já estávamos à espera de uma etapa difícil. Não foi nada fácil, pois tal como o Sébastien, andámos sucessivamente na direcção errada, um atrás do outro. Amanhã tenho de dar o meu melhor para assegurar o meu 2º lugar na classificação provisória.”

Nos camiões, o dia sorriu a Eduard Nikolaev (Kamaz-Master n°307) que rubricou a sua primeira vitória, mesmo a tempo de o rally entrar na China. Tal como aconteceu nos últimos dias, desde que o rally tem percorrido as vastas estepes do Casaquistão, foram as tripulações que começaram a etapa nas ultimas posições que menos dificuldades tiveram com a navegação.

T2 category

Para além da vitória na quinta etapa de Adrian DiLallo (Isuzu MU-X n°135), a noticia bombástica na classe T2 class foi o abandono esta manhã, antes do inicio da especial, do Toyota Land Cruiser n°133 do piloto japonês Akira Miura e Laurent Lichtleuchter. A saída de estrada de ontem revelar-se-ia devastadora e irreparável, forçando o abandono da equipa de fábrica Toyota Autobody…

Camiões: Nikolaev revigorado!

Para Eduard Nikolaev (KamSWaz-Master n°307) esta primeira vitória de etapa pode ser o ponto de viragem da sua participação no Silk Way Rally. Fora do TOP5, a mais de 2 horas atrás dos seus companheiros de equipa, que lideram a prova, ‘Prince Eduard’, vítima de um eixo quebrado na terceira etapa, teve hoje ao final do dia motivo para sorrir de novo. Principalmente porque teve que trabalhar arduamente durante a especial de hoje respondendo aos ataques de Siarhey Viazovich (MAZ n°304) e Martin Kolomy (Tatra n°311). A apenas 2 segundos de Nikolaev, a 57 km do final, o ataque final do bielorrusso foi interrompida quando perdeu quase uma hora com problemas mecânicos. O “Checo supersónico”, Kolomy, assumiu o controlo, mas no final perderia o primeiro lugar por apenas 39 segundos. Terceiro na especial, Dmitry Sotnikov (Kamaz-Master n°303) segurou a liderança à geral, com 2m12s de avanço sobre o colega de equipa Shibalov, enquanto Kolomy completou o pódio a 12m53s.

 

ANTEVISÃO DA 7ª ETAPA

O percurso de amanhã tem uma extensão de 412 km e ligará Urdzhar, ainda no Cazaquistão, e Karamay, já na China. As dunas farão a sua aparição. A especial de 106,6 km desenrola-se entre colinas e muita vegetação.