Nacional MX 2017: Casa cheia no regresso à catedral

Carrocel, Motocross

Nacional MX 2017: Casa cheia no regresso à catedral

Quatro anos depois o Crossódromo Internacional de Águeda voltou a ser palco de uma etapa do campeonato nacional de Motocross. Foram quatro anos de espera que finalmente terminaram com a realização da sexta prova do campeonato 2017 e que trouxe a um renovado traçado os melhores pilotos da especialidade e também os regressados Paulo Alberto e Luís Oliveira, pilotos que têm competido por terras brasileiras e que regressaram ás provas em solo nacional.

Apesar do céu se mostrar algo carregado e terem mesmo caído algumas gotas de chuva no arranque da tarde de corridas, as zonas de público mostraram que as gentes da Bairrada estão também ao lado do Actib, o clube aguedense que assumiu não apenas a organização desta prova do campeonato nacional mas igualmente o regresso do mundial ao nosso país nos próximos dias 1 e 2 de Julho. De destacar que a totalidade dos bilhetes colocados à venda esgotou logo ao início da tarde, atingindo um número que rondou os 5.000 espectadores.

INICIADOS
Foram os Iniciados os primeiros a competir no novo desenho do circuito do Crossódromo Internacional de Águeda, que com os seus renovados 1.700 metros desenhados pelo neo-zelandês Greg Atkins se mostrou desde os primeiros treinos mais rápido e acima de tudo espectacular para o público que agora tem visão quase completa sobre todo o circuito.

Sem surpresa Luís Outeiro foi o vencedor de ambas as mangas realizadas, mantendo desta forma a invencibilidade no campeonato, cabendo a Frederico Rocha a segunda posição na classificação final do evento depois de um intenso duelo com Rúben Ferreira. Este foi o segundo na primeira corrida, mas na derradeira o piloto de Coimbra (Rocha) bateu o adversário e fechou a jornada em segundo para se aproximar de posição idêntica na geral do campeonato pois está agora a apenas oito pontos de Fábio Costa.

MX2
Assumindo a liderança da corrida MX2 ainda no decorrer da primeira volta – depois do ‘holeshot’ assinado por Bruno Charrua – Pedro Carvalho liderou a totalidade das 19 voltas para assegurar mais uma vitória no campeonato. Diogo Graça demorou nove voltas a passar para a frente de Sérgio Garcia e quando o fez Carvalho estava já longe e mais não restou ao piloto da Honda que fechar a corrida no degrau intermédio de pódio na frente de Garcia.

Integrados como sempre no pelotão de MX2, os pilotos Júnior viram novamente Bruno Charrua a vencer a corrida na frente de André Sérgio – que ficou a pouco mais de 9 segundos – cabendo a Renato Silva o terceiro posto final e a vitória nos 2 Tempos, classe onde continua a ditar a sua lei. A liderança da classificação geral dos Júnior é igualmente propriedade de Silva, mas agora com apenas um escasso ponto de vantagem sobre André Sérgio.

MX1
Coube a Hugo Basaúla o melhor arranque para a corrida reservada ás motos com motor de maior cilindrada, as MX1, mas depois de liderar na primeira passagem pelo circuito o campeão nacional da especialidade foi ultrapassado pelo regressado Paulo Alberto que não mais largou a liderança até à bandeira de xadrez. O piloto de Leiria cumpriu um total de 19 voltas e cruzou a linha de meta com pouco mais de nove segundos de vantagem sobre Sandro Peixe, que passou para a frente de Basaúla na oitava passagem pela linha de meta depois de também ter passado o líder do campeonato, Luís Correia, na quinta volta. Correia foi assim o quarto com Luís Oliveira a fechar o lote dos cinco primeiros neste seu regresso ás pistas do nacional e do Crossódromo Internacional de Águeda.

ELITE
A fechar o dia e como é hábito em todas as rondas do campeonato nacional a corrida Elite juntou os 20 melhores pilotos MX2 e os 20 melhores MX1. Trinta minutos repletos de acção que encheram o olho aos milhares de espectadores que não arredaram pé até ao final de uma fantástica tarde de motocross. O melhor no arranque foi Sandro Peixe mas ainda na volta inicial Paulo Alberto assumia a liderança que não mais largou até à bandeira de xadrez. Sandro Peixe não teve a sorte do seu lado e foi forçado a abandonar antes de estarem cumpridas as cinco primeiras voltas. O piloto ribatejano ocupava na altura o segundo posto.

Com o abandono de Sandro Peixe animou o duelo pela segunda posição. Hugo Basaúla tinha sido terceiro nas duas primeiras voltas até ser passado por Correia e depois de ambos terem sido na classificação por força do abandono de Peixe durante muitas voltas Basaúla tudo fez para encostar em Correia e tentar a ultrapassagem ao seu adversário, mas no final foi mesmo o líder do campeonato a fechar as 19 voltas no degrau intermédio de pódio na frente de Basaúla. No quarto posto ficou Diogo Graça, que venceu a classe MX2.

Um final de jornada alucinante onde Paulo Alberto esteve superior com mais uma dupla vitória e onde Luís Correia e Hugo Basaúla proporcionaram ao público mais um fantástico duelo que desportivamente terminou com um cumprimento entre ambos.

Satisfação total igualmente para os membros do Águeda Action Club (Actib) que desta forma passaram com distinção o seu derradeiro teste antes da prova do campeonato do mundo de MXGP nos dias 1 e 2 de Julho.