Mário Patrão foi o melhor português no Merzouga Rally

Mário Patrão foi o melhor português no Merzouga Rally

Carrocel, Destaque, Noticias, TT

Mário Patrão foi o melhor português no Merzouga Rally

Mário Patrão que participou na categoria de motos na prova africana, foi o português mais bem classificado no final do Merzouga Rally, ocupando a sétima posição da geral na competição que decorreu em Marrocos.

Etapa 6

Um clássico do Merzouga Rally reinventado por Marc Coma para a edição 2017… De novo, os SxS e os quads terão ocasião de se destacarem com uma partida ao estilo “Le Touquet”: ¡SxS-QUAD-MOTO!

Stage 6: Liaison A 44km – SS6 50km – Liaison B 44km

Mário Patrão terminou hoje a sua participação no Afriquia Merzouga Rally, prova que iniciou no passado domingo em Marrocos e que serviu de preparação para mais uma aventura do grande Rali Dakar a realizar em Janeiro de 2018.

O piloto português da KTM foi o sétimo classificado final numa prova de exigente navegação ao longo das seis etapas desenhadas sobre o deserto marroquino com um total de 1.200 quilómetros cronometrados e um total de 16h03m12s, distando 1h08m36s do vencedor final, o francês Xavier De Soultrait, em Yamaha.

Recorde-se que Mário Patrão iniciou a “maratona” marroquina com o 14.º lugar, tendo chegado ao quinto lugar como melhor marca na quarta etapa da prova. No cômputo geral, o piloto com as cores do Crédito Agrícola fechou o Afriquia Merzouga Rally com um brilhante sétimo lugar final, em confronto directo com pilotos figurantes na elite do todo-o-terreno mundial.

Mário Patrão: “Balanço final muito positivo. Muita navegação em deserto que é onde sinto que tenho mais dificuldade com a moto de rally, foi muito importante para mim, para a minha preparação, o resultado final foi o possível e no geral também acaba por ser muito positivo. Sinto que estou a melhorar naquilo que tenho mais dificuldade, por isso o objectivo está a ser cumprido. Agradeço a todos os meus patrocinadores, parceiros e colaboradores por me proporcionarem a presença em provas destas com o objectivo de poder evoluir. Obrigado a todos.”

Joaquim Rodrigues voltou a ser o melhor português na derradeira etapa, terminando na segunda posição a apenas três segundos do vencedor, o que o coloca na nona posição da classificação geral, a 01:35.07 horas de Soultrait.