Luta cerrada no Oceano Índico

Luta cerrada no Oceano Índico

Carrocel, Vela

Luta cerrada no Oceano Índico

A equipa espanhola do MAPFRE quebrou o enguiço da 3ª etapa, após 10 dias no mar, passou para a frente do Dongfeng Race Team, agora que faltam “apenas” 1.500 milhas náuticas para Melbourne.

Xabi Fernández e a sua tripulação, inverteram os papeis com o Dongfeng um pouco antes das 2200 GMT, de terça-feira, após o navegador Juan Vila optar por navegar praticamente em cima da Zona de Exclusão de Gelo Antártico (AIEZ).

O Dongfeng de Charles Caudrelier ainda recuperou brevemente o primeiro lugar, quando optaram por um rumo 35 milhas ao norte da AIEZ, mas um angulo melhor na brisa oeste-sul-oeste resultou em velocidades mais rápidas para os espanhóis.

O MAPFRE passou mais uma vez para a frente depois das 0100 UTC, e, desde então conseguiu uma vantagem de 10 milhas em relação ao Dongfeng.

Embora a etapa esteja longe de terminar, é um momento significativo para as duas equipas, ambas apresentadas como favoritas e que terminaram primeiro e segundo, respectivamente, na etapa de Lisboa para Cape Town.

Claro que é bom estar na liderança, mas sabemos que eles vão pressionar muito“, disse Fernández. “Os próximos bordos serão oportunidades para eles, como o último foi para nós. Sabemos que eles são rápidos e precisamos ter muito cuidado.

Stu Bannatyne, do Dongfeng, disse que a equipa estava preparada para lutar pelo primeiro lugar até à linha de chegada – mas admitiu que não há espaço para o erro.

Para cruzar a linha em primeiro, vamos ter de estar a navegar de uma forma 100% eficaz“, disse ele. “Mas sabemos, que estamos há 10 dias a competir e todos estão cansados, e vais ser difícil estar a 100 por cento“.

Apesar de perder algumas milhas para o Vestas 11th Hour Racing, em terceiro lugar, houve boas notícias para o quarto classificado, o Brunel de Bouwe Bekking.

A Annie Lush, que no passado fim de semana foi varrida por um onda, quando estava no deck com o Peter Burling ao leme, levantou-se do seu beliche pela primeira vez desde que se magoou nas costas,

Leg 3, Cape Town to Melbourne, day 11, on board Turn the Tide on Plastic

Finalmente 72 horas depois saí do meu beliche“, disse Lush. “Posso mover-me, e isto é fantástico“.

Depois de escolher rotas diferentes nos últimos dias, hoje todos os sete barcos estão praticamente alinhados ao longo do paralelo 45, com mais de 450 milhas a separar o MAPFRE em primeiro lugar, do AkzoNobel em sétimo.

Se tudo correr como o previsto, os líderes podem passar o Natal em terra firme – as previsões iniciais estimavam a chegada a Melbourne no dia de Natal.

A previsão não é tão boa para a segunda metade da frota – Team Sun Hung Kai / Scallywag, Turn the Tide on Plastic e Akzonobel – que ainda estão a tentar ficar à frente de um sistema de alta pressão, o que poderia frustrar qualquer esperança de chegar para o Natal, caso não consigam.

Às 1300 GMT, as velocidades a bordo dos três últimos caíram entre 10 e 14 nós e o vento era de apenas sete nós – um sinal ameaçador.

Temos uma alta pressão a perseguir-nos, é uma barreira que devemos deixar a norte“, disse Dee Caffari, skipper do sexto classificado o Turn the Tide on Plastic. “Toda a pressão é para sul, onde não estamos autorizados a ir. Como resultado, corremos o risco de ser engolidos e chegarmos muito mais tarde a Melbourne, do que aqueles que estão à frente. Caramba!

Leg 3 Cape Town to Melbourne, day 11, on board AkzoNobel

O maior impacto será sobre o AkzoNobel, que poderá cruzar a linha de chegada três dias depois dos primeiros.

Uma chegada tão atrasada, aumentará a pressão sobre os tripulantes do Simeon Tienpont para preparar o barco a tempo do início da 4ª etapa, que parte para Hong Kong no dia 2 de janeiro.

Melbourne é um pitstop (em termos de trabalho no barco), as regras dizem que não podemos substituir peças sobresselentes ou ter mais de dois tripulantes a trabalhar no barco”, disse Nicolai Schested, do AkzoNobel. “Temos uma equipa diversificada com muitas competências, tenho a certeza de que podemos ter o barco pronto muito rapidamente, assim que chegarmos a Melbourne“.

3ª etapa – Classificação geral – Quarta-feira 20 de Dezembro (Dia 11) – 13:00 UTC 

1 – MAPFRE – distância até ao final – 1.679,2 milhas náuticas

2 – Donfeng Race Team + 10,9 milhas náuticas

3 – Vestas 11th Hour Racing +108.6

4 – Team Brunel +139.0

5 – Sun Hung Kai / Scallywag +304.4

6 – Turn the Tide on Plastic +400.2

7 – AkzoNobel +469.1

 

Photos: Jen Edney, Jeremie Lecaudey e James Blake/Volvo Ocean Race