Lavieille e Mardeev "surfaram" as dunas do deserto de Gobi

Lavieille e Mardeev “surfaram” as dunas do deserto de Gobi

Carrocel, SilkWay Rally

Lavieille e Mardeev “surfaram” as dunas do deserto de Gobi

Christian Lavieille (Baïcmotor n°108) nos carros e Airat Mardeev (Kamaz-Master n°300) nos camiões foram os vencedores da 12ª etapa do Silk Way Rally nas grandes dunas do deserto de Gobi. Apesar dos problemas mecânicos e do tempo perdido nesta exigente especial, Cyril Despres (Peugeot 3008DKR n°100) e Dmitry Sotnikov (Kamaz-Master n°303) conseguiram segurar as suas posições de liderança à geral.

 

Despres sofreu!

Como que a relembrar que o Silk Way Rally está ainda longe de terminar, Cyril Despres não ganhou para o susto, quando o seu Peugeot DKR ficou atolado no topo de uma das muitas dunas que integravam a segunda parte da Especial de hoje. Embora a equipa tenha conseguido desatolar o carro recorrendo aos macacos integrados, alguns quilómetros mais à frente a situação complicou-se devido a um problema no sistema hidráulico que deixou o carro sem direcção assistida.

No mais perfeito exemplo de trabalho em equipa, Stéphane Peterhansel esperou pelo seu colega logo após a partida, de forma a seguirem em comboio para que, caso surgissem problemas, os pudessem ajudar a resolvê-los. A estratégia deu frutos, já que foi o Peugeot DKR nº106 que retirou o carro de Despres daquela situação. Seguiram ambos, depois, até à linha de chegada, sem mais sobressaltos.
Felizmente para o piloto francês, Bryce Menzies (Mini John Cooper Works n°105), o seu mais directo adversário, perdeu completamente o “norte” e andou às voltas e voltas em busca de um waypoint perdido, o que o fez perder ainda mais tempo que os problemas do piloto da Peugeot fazendo-o baixar para a 4ª posição à geral. Ora então um dos mais beneficiados pelos problemas dos homens da frente seria Christian Lavieille (Baïcmotor n°108) que arrancou bem lá de trás para vir a cumprir uma especial perfeita. O bi-campeão do mundo de resistência em motos e recém vencedor do Taklimakan Rally, averbou a sua primeira vitória nesta corrida com uma vantagem de 19 segundos sobre o piloto chinês do Geeley SMG buggy, Liu Kun, o que lhe valeria subir ao 3º posto da classificação geral. Terceiro nesta etapa, o outro Geeley SMG buggy de Han Wei foi outro dos beneficiários das dificuldades de Despres e de Menzies ascendendo à segunda posição da classificação geral, a 43m22s do líder.

 

Camiões: Sotnikov perde potência

Para a armada Kamaz-Master o objectivo desta 12ª etapa era muito claro: conter o ímpeto de Kolomy e do seu Tatra, que até agora tem segurado teimosamente o seu terceiro lugar à geral. A saír em primeiro esta manhã, depois da vitória de ontem, o piloto checo não seguraria a sua posição por muito tempo. Contudo, não eram os Kamaz o seu problema mas, tal como Despres, um problema de potência imobilizaria o seu Tatra Phoenix n°311 no alto de uma duna. E estava dado o mote para Airat Mardeev (Kamaz-Master n°300) “dar gás” ao seu monstro. Mardeev rubricaria, assim, a sua segunda vitória de etapa, 2m15s à frente de Shibalov. Mardeev e Sotnikov podem, agora, ambicionar a vitória final à chegada a in Xi’An. Tudo promete uma óptima batalha entre os companheiros de equipa amanhã nas dunas do deserto de Tenger, tão bonito quanto devastador…

 

ROAD BOOK

Amanhã: Etapa 13 ALASHAN YOUQI-ZONGHWEI “A Catedral das Dunas” 690,31 km

A penúltima Etapa do Silk Way Rally, ligando Alxa a Youqi, em Zhongwei, vai ser um grande desafio, numa Especial denominada “A Catedral das Dunas”. Com uma extensão de 318,66 km, trata-se de mais uma Especial dividida em duas secções, na qual se exige muito cuidado com a navegação e muita técnica na transposição das dunas. As equipas não vão ter, propriamente, condições para apreciar a paisagem, mesmo sabendo que será, seguramente, uma das mais belas de todo o rali.