Kleinschmidt recomenda a Laia Sanz que evolua para os carros

Kleinschmidt recomenda a Laia Sanz que evolua para os carros

Carrocel, Dakar, Destaque, Noticias

Kleinschmidt recomenda a Laia Sanz que evolua para os carros

A piloto alemã, e única mulher a vencer o Dakar em autos, recomenda à piloto espanhola que evolua para outra modalidade.

17 anos! É o tempo que já passou desde que Jutta Kleinschmidt entrou para a história do Dakar ao conquistar a vitória nos autos, na prova que então se corria ainda no Continente Africano, em Mitsubishi. Um êxito nunca antes alcançado por outra mulher e que tem motivado Laia Sanz ao longo de 7 anos e levando-a a ser a mulher que mais Dakar’s terminou.

Sem hesitar, e apesar de Sanz ter alcançado um meritório 9º lugar há três anos e em 2018 ter rubricado o 11º lugar a 10 minutos do TOP10, Kleinschmidt recomenda-lhe que evolua o quanto antes para as quatro rodas: “É incrivelmente boa com a moto e adoro ver como outra mulher é capaz de fazer o Dakar e demonstrar que é possível lutar contra as adversidades e, ao mesmo tempo, lutar contra os rapazes. Ainda é jovem, mas recomendar-lhe-ia que se quer mudar para os carros, que o faça o quanto antes. Se espera pelos 40, será demasiado tarde. Acredito que ela possa ser igualmente rápida em quatro rodas“.

Em entrevista ao’Motorsport’, Jutta fundamenta a sua opinião “se competes durante muito tempo em motos, quando te apercebes já é demasiado tarde para que te adaptes às peculiaridades dos automóveis. A minha experiência diz-me que se ficas demasiado tempo nas motos, depois fica demasiado tarde para aprender nos carros. Isso é perfeitamente perceptível nos pilotos que evoluíram para os carros! Precisaram de entre dois a três anos para serem realmente bons. Acho que no Dakar tens boas oportunidades de sucesso nos carros depois de passares pelas motos porque consegues enorme vantagem de “ter olho” para os rumos a tomar, pelo que aprendeste de navegação e sobretudo porque o co-piloto tem que te dizer muito menos coisas“.

Uma recomendação que a piloto de Corbera de Llobregat agradece, mas que não se realizará enquanto mantenha a motivação para fazer ainda mais e melhor nas motos “Conversei com a Jutta e essa foi de facto a sua recomendação. Mas acho que ainda ma falta fazer mais e melhor nas motos. Enquanto tiver essa motivação vou continuar e acabo de renovar contrato com a KTM. Mas a verdade é que se tiver a oportunidade de correr em carro, coisa que hoje em dia não é fácil, eu irei aproveitar. É o meu sonho e espero concretizá-lo dentro de algum tempo“.