Jogos Santa Casa vestem camisola da Equipa Portugal

Jogos Santa Casa vestem camisola da Equipa Portugal

BTT, Carrocel, Estrada

Jogos Santa Casa vestem camisola da Equipa Portugal

Os Jogos Santa Casa são o novo Patrocinador Oficial da Federação Portuguesa de Ciclismo, partilhando com a Liberty Seguros o patrocínio da Selecção Nacional.

A parceria com os Jogos Santa Casa, no início do novo ciclo olímpico, permitirá reforçar os meios ao dispor das Selecções Nacionais das diversas vertentes de ciclismo e ainda de paraciclismo.

Com o apoio dos Jogos Santa Casa e da Liberty Seguros, a Federação Portuguesa de Ciclismo começa já nesta época de 2017 a intensificar o trabalho da Equipa Portugal, ao nível do treino de alto rendimento e da participação em competições internacionais. Neste aspecto, o calendário da Selecção Nacional de Sub-23 está bastante reforçado face às épocas anteriores, colmatando a necessidade sentida de dar maior experiência de alto nível aos corredores em transição das camadas jovens para a elite.

Pretende-se melhorar a qualidade do trabalho desenvolvido no último ciclo, durante o qual o ciclismo português conquistou 14 medalhas em Campeonatos do Mundo e da Europa de BTT, estrada e pista, entre as quais se destacam as medalhas de ouro de Rui Costa, na prova de fundo de estrada, de Tiago Ferreira, no mundial de maratona BTT, e de Ivo Oliveira no mundial e no europeu júnior de pista.

É com grande satisfação que encaro o início desta parceria entre a Federação Portuguesa de Ciclismo e os Jogos Santa Casa. Começamos agora uma união que, estou certo, será longa e frutuosa para ambas as instituições. A ligação entre a Federação Portuguesa de Ciclismo e os Jogos Santa Casa é, na minha opinião, natural, uma vez que junta duas instituições que fazem parte do imaginário nacional. Nós somos a federação portuguesa há mais tempo em actividade, representando o desporto popular por excelência, aquele que vai à porta das pessoas sem cobrar bilhete. Os Jogos Santa Casa são uma referência no patrocínio ao desporto, especialmente às federações desportivas”, afirma o presidente da Federação, Delmino Pereira.

O patrocínio dos Jogos Santa Casa insere-se na política desta instituição de apoio ao esforço e à valorização do mérito desportivo. A Federação Portuguesa de Ciclismo junta-se ao leque de Federações que já são patrocinadas pelos Jogos Santa Casa, que se assumem como o maior patrocinador do desporto português.

Os Jogos Santa Casa têm, ao longo dos últimos anos, apoiado a promoção da prática desportiva e eventos de excelência em várias modalidades. Desde 2013, a política de patrocínios está centrada na promoção de talentos individuais e colectivos no âmbito do desporto, através do apoio aos Comités Olímpico e Paralímpico, Federações Desportivas e atletas nacionais, à valorização do esforço e do mérito desportivo, bem como, à promoção do desporto enquanto motor de coesão social e de estilos de vida saudáveis”, assinala a directora de Comunicação da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Maria João Matos.

A mesma responsável revela ser “com grande satisfação que os Jogos Santa Casa asseguram para ‘a sua equipa’ este ‘reforço de peso’ do desporto nacional que é a modalidade do ciclismo, pelo que representa no quadro competitivo, mas também pela sua capacidade de potenciar a prática de actividade física para a população em geral. É com regozijo que os JSC passam a ser Patrocinador das Selecções Nacionais de Ciclismo, sendo que parte do valor do patrocínio vai permitir canalizar verbas para uma melhor preparação dos atletas, para que se consiga ter o maior número de ciclistas a competir nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio 2020. Refiro também a importância deste patrocínio, que servirá para desenvolver e ajudar na expansão da modalidade na vertente do ciclismo feminino”.

É com orgulho que afirmamos e constatamos que, actualmente, os Jogos Santa Casa são a marca que mais apoia o desporto em Portugal. É a marca que está mais próxima das principais modalidades olímpicas, não só por via do apoio directo às Federações, como também pelos patrocínios concedidos aos Comité Olímpico e Paralímpico”, conclui Maria João Matos.