Il Giro pede uma rápida resolução quanto à sanção a Froome

Il Giro pede uma rápida resolução quanto à sanção a Froome

Carrocel, Estrada

Il Giro pede uma rápida resolução quanto à sanção a Froome

O director da prova, Mauro Vegni, afirmou que espera “um certificado da UCI antes da prova porque não quer outro caso como o de Contador“.

A temporada ciclista já está em marcha. Alguns dos principais protagonistas das Grandes Voltas ainda não começaram a rodar em competição, mas espera-se que durante o mês de Fevereiro todos disputem as suas primeiras corridas. Um deles é Chris Froome, cujo resultado positivo por salbutamol na Vuelta espanhola, tornado público no passado dia 13 de Dezembro, continua a fazer correr rios de tinta.

Desde esse momento, as duvidas e as incógnitas prevalecem sobre a equipa da Sky e sobre o próprio Froome na defesa que apresentaram. Um dos argumentos que foi apresentado em defesa do ciclista britânico foi a disfunção renal, de que padecerá, como a principal causa do resultado positivo na 18ª etapa da Vuelta. Pese embora que o próprio Froome já sabia do resultado positivo antes que tivesse tornado público, o britânico preparou o seu calendário marcando nele o Il Giro de Itália como uma das datas de competição, ou seja, aparentemente estará a contar estar presente na 101ª edição da ronda italiana.

Froome pretende conseguir vencer em três das grandes consecutivas: Tour de França 2017, a Vuelta 2017 e Il Giro de Itália 2018, com os olhos postos na que seria a sua primeira camisola cor de rosa ainda que a resolução do seu caso lhe possa vir a fazer perder a Vuelta de 2017. Ainda falta, contudo, algum tempo até que comece a ronda italiana, o que acontecerá apenas a 4 de Maio em Israel. Porém, o director da prova, Mauro Vegni, vê as semanas a passar sem que nada aconteça e decidiu pronunciar-se sobre o assunto.

Espero que rapidamente tenhamos um resultado final, mas aconteça o que acontecer, não poderemos aceitar uma solução do conflito como sucedeu com Alberto Contador em 2011, onde a vitória lhe foi retirada por um resultado positivo que aconteceu noutra prova, o Tour de França 2010”. Alberto Contador competiu no Il Giro de 2011 e após dar positivo por clembuterol que lhe foi detectado no Tour de França de 2010. Até Fevereiro de 2012 não houve qualquer resolução, despojando posteriormente o ciclista tanto do Tour obtido nesse ano como do Giro 2011.

Aquela camisola cor de rosa passou então para o já falecido Michele Scarponi, que conseguiria desta forma a sua primeira grande. Vegni não quer voltar a passar pela mesma situação. Por agora e por enquanto, o “caso Froome” continua a ser uma incógnita.

Photo: Twitter de Froome