“Gostaria que o Sainz ganhasse o Dakar com a Peugeot”

“Gostaria que o Sainz ganhasse o Dakar com a Peugeot”

Carrocel, Dakar

“Gostaria que o Sainz ganhasse o Dakar com a Peugeot”

Bruno Famin, responsável de competição da marca francesa, conta com o madrileno em 2018 já que o contrato entre ambos está praticamente fechado.

 

Bruno Famin

Bruno Famin, director da Peugeot Sport, tem boas noticias para os muitos fãs do piloto espanhol e que deu em primeira mão ao jornal espanhol a.s. A confirmação de um quarto carro na estrutura francesa para o Dakar 2018 praticamente assegura a presença de Carlos Sainz na próxima edição da mítica prova. O contrato entre o piloto espanhol e a marca francesa está praticamente fechado ainda que, todavia, não haja comunicado oficial sobre o assunto. Famin também falou do seu projecto no rallycross e no Europeu de rallys

Arrancou ontem em Barcelona a temporada de rallycross. Porquê este campeonato?

O objectivo é lutar nos dois campeonatos, pilotos e equipa, com Loeb e Timmy Hansen. A Peugeot assume o desenvolvimento técnico dos carros e a família Hansen está encarregue da gestão desportiva. Contamos com a enorme experiência de Kenneth Hansen, que foi campeão da Europa quando ainda não havia Mundial.

Qual o interesse da Peugeot no rallycross?

Promover o nosso produto, o 208. Acreditamos no futuro do rallycross, está em perfeito crescimento desde que a IMG assumiu a organização. Em França não tinha, de todo, uma boa imagem, parecia até algo rústico. Mas agora é moderno, espectacular, fácil de transmitir pelas redes sociais.

Nos rallys têm Cohete Suárez e Pepe López a disputar o Europeu. Dois espanhóis porquê?

Mera casualidade! Este programa está reservado ao vencedor da 208 Rally Cup. De lá saíram já grandes pilotos, como Ogier. Mas há dois anos ganhou Cohete e no ano passado ganhou Pepe. E foi graças a Carlos Sainz, que os ajudou. Se fossem japoneses seria igual.

Este foi um fim de semana complicado para Cohete nos Açores…

Não vou culpá-lo antes de o ouvir, mas não cumpriu, de todo, o objectivo que lhe demos. Ainda que ambas as saídas de estrada, uma na sexta-feira e outra no sábado, possam ter sido por erros de navegação.

Demasiado temperamental?

Pois talvez…

Essa característica é boa para um piloto de rallys?

Não! Para nenhum piloto de qualquer disciplina. Bons pilotos há muitíssimos, mas depois há outros que dão um pouco mais. Os que conseguem singrar na carreira são os que lidam melhor com a pressão, com as corridas, com a carreira, até com a sua vida pessoal…

A Peugeot tem interesse em participar no WRC?

Não! Não é que não nos interesse, mas somos parte de um grupo. No passado competimos contra a Citroen mas não o vamos voltar a fazer em nenhuma das categorias.

E quanto ao Dakar, agora que se sabe que terão um quarto carro em 2018, todos os olhares se voltam para Carlos Sainz…

Sim! Vai repetir-se a equipa deste ano com Peterhansel, Loeb, Despres e Sainz.

Sainz teve efectivamente um grande papel no desenvolvimento do 2008 DKR?

Sim teve e é muito exigente tal como Loeb. E as suas exigências sempre são sustentadas por razões válidas e são muito assertivas quanto a problemas que haja que resolver. Carlos aportou imenso à equipa e deu-nos anos de experiência que nos fazem estar na frente.

A Peugeot ganhou o Dakar, mas Sainz não ganhou com a Peugeot. Azar?

Em 2016 teve um problema mecânico no carro, tinha um ponto de fragilidade e foi ele quem o encontrou. Talvez pela sua condução, sempre no limite, quando há um potencial problema no carro não tenho dúvida de que é ele quem o vai encontrar.

São pilotos como ele que mudaram a forma de conduzir no Dakar…

Claramente que sim! E sim, em 2016 foi puro azar dele. Em 2015 o carro era mais difícil, mas também bateu forte numa pedra grande. E este ano foi um pequeno instante de desconcentração num muito mau sitio. Azar? Sim, podemos falar de azar.

Sainz poderá voltar a ganhar um Dakar?

Tem todo o potencial para isso acontecer.

Com a Peugeot?

Espero bem que sim. Eu gostaria muito e seria da maior justiça por tudo o que deu ao projecto.