Foi assim o dia de descanso para a Monster Energy Honda

Foi assim o dia de descanso para a Monster Energy Honda

Carrocel, Dakar

Foi assim o dia de descanso para a Monster Energy Honda

E falamos de mais uma equipa que dá o tudo por tudo embora que mais pobre com a ausência do piloto português Paulo Gonçalves que, por questões de saúde, se viu impossibilitado de disputar esta edição do Rally Dakar.

No bivouac de La Paz, não havia pressa e era pouco o barulho dos motores durante o dia de descanso. Foi um momento para os pilotos porem o sono em dia (quase) do que perderam nos últimos dias e uma altura ideal para os mecânicos trabalharem nas máquinas. A Monster Energy Honda Team prepara-se, à semelhança, de todos, oficiais e privados, para a segunda, última e crucial semana da prova.

O balanço dos primeiros seis dias de corrida tem uma leitura positiva, com vitórias em duas etapas para Joan Barreda e a prova a ser liderada actualmente por Kevin Benavides – ambos pilotos com fortes probabilidades de conquistar o prémio final neste Dakar 2018. A primeira semana foi uma tarefa árdua, mas ambas as Honda CRF450 RALLY e seus respectivos pilotos sofreram as tensões sem contratempos. Ricky Brabec brilhou e alguns momentos no Peru, tal como aconteceu com Michael Metge, embora o francês tenha descido na classificação depois de ser sancionado por não ter validado um waypoint embora devida a uma falha no aparelho. Uma referência digna, e que não poderia deixar de ser feita, vai para o jovem José Ignacio Cornejo, que substituiu Paulo Gonçalves à última da hora e que se adaptou rapidamente a uma moto que lhe era totalmente desconhecida obtendo resultados muito sólidos.

A equipa aproveitou o dia de descanso para se preparar para a segunda semana de corrida onde vão ter de enfrentar oito etapas difíceis na Bolívia e Argentina. A primeira parte, com previsão de chuva e lama a uma altitude de mais de 3500 metros, e a segunda, com áreas desérticas como as de Fiambalá ou San Juan.

Hoje os concorrentes abordarão a primeira parte da etapa maratona entre La Paz e Uyuni, com 425 quilómetros de especial e seguida de uma noite no bivouac onde não é permitida assistência mecânica externa. A segunda mão da maratona terminará no domingo em Tupiza.

Essencial para a Monster Energy Honda Team tem sido o apoio da própria família Honda: a Honda Peru colaborou com a equipa durante a primeira parte da corrida, oferecendo infraestrutura e logística, assim como Honda Motor de Chile e Honda Argentina.