Festa rija na Áustria com a vitória de Walkner e da KTM

Festa rija na Áustria com a vitória de Walkner e da KTM

Carrocel, Dakar, Destaque, Noticias

Festa rija na Áustria com a vitória de Walkner e da KTM

O piloto austríaco, de 31 1nos, rubrica com a melhor caligrafia a sua primeira vitória num Dakar. Seguiram-se-lhe Benavides e Price. A fechar o TOP 5 ficou Farrés, o melhor piloto espanhol.

Em La Paz, dia de descanso, parecia que esta edição do Dakar estaria ao alcance de qualquer piloto que não fosse sequer da KTM. Adrien Van Beveren era então o melhor, aos comandos da sua Yamaha, e estava de facto a cumprir uma belíssima prova até Belén quando sofreu uma violenta queda da sua moto e partiu uma clavícula, incidente que o obrigou ao abandono. Por seu turno, Kevin Benavides também mereceu atenções de favorito e por uns momentos as atenções recaíram sobre o piloto argentino da Honda mas este ficar-se-ia por um muito digno segundo lugar da mítica prova.

Menção honrosa para Joan Barreda que foi, sem dúvida, o piloto mais rápido desta edição do Dakar. Mas as múltiplas fracturas no seu pulso esquerdo e a fatidica queda em Uyuni onde deu cabo do joelho esquerdo acabariam por ser inglórias e ditar o seu abandono já tão perto do final!

Contas feitas, muitos textos escritos e eis que a 40ª edição do Rally Dakar termina, para as motos, exactamente da mesma forma que as 16 provas anteriores, ou seja, com o triunfo de uma KTM!

Que podemos dizer acerca disso? que a KTM é um fabricante perfeito, com uma equipa absolutamente talentosa, onde todos estão habilitados e capacitados para vencer. Toby Price sofreu no inicio e Sam Sunderland abandonaria, avançou Matthias Walkner com uma lição de navegação para todo o mundo ver, escalou até ao primeiro lugar da tabela classificativa em Belén para não voltar a sair de lá. É o primeiro austríaco que ganha um Dakar, e assim leva o triunfo para o país de origem da KTM e também o seu país de nascimento.

Walkner começou na competição no motocross, triunfou no Mundial da modalidade e, de seguida, abandona porque se viu com mais futuro no todo-o-terreno. Tinha razão! Agora venceu um dos mais duros de todos.