Ferrari ameaça abandonar a F1 em 2021

Ferrari ameaça abandonar a F1 em 2021

Carrocel, Formula 1

Ferrari ameaça abandonar a F1 em 2021

Não gostam, nem concordam, com as regras que querem implementar na modalidade e Sergio Marchionne assegura que não terão o menor problema em sair se teimarem em ir por este rumo.

Compraram um terreno e querem ajeitá-lo a seu gosto. Até agora limitaram-se a retoques de estética, mas quando começaram a “escavar” encontraram uma “pedra” que pode ser impenetrável. A Liberty apresentou as suas ideias para a Fórmula 1 que quer em 2021 mas “deu de caras” com a oposição dos principais pilotos e equipas. A Mercedes levantou a voz e a Renault fez coro, mas a Ferrari foi ainda mais longe e ameaça abandonar a modalidade se os norte-americanos insistirem em levar o projecto, tal como o apresentaram, por diante.

Sem deixar margem para dúvidas, Sergio Marchionne, numa conferência de imprensa onde ia para apenas prestar esclarecimentos sobre os resultados financeiros da marca, comentou “A Liberty tem boas intenções, uma delas é reduzir os custos para as equipas, que é algo muito bom, mas há umas tantas coisas com as quais não estamos de acordo. Se nos apercebermos de que em 2021 a F1 toma um rumo diferente, seremos forçados a tomar decisões“.

Deve ficar completamente claro que, a menos que encontremos uma série de circunstâncias cujos resultados sejam benéficos para a permanência da marca e do mercado e para o fortalecimento da posição única da Ferrari, a Ferrari sai. Isso teria muitas e variadas consequências, aparte da redução de custos da nossa estrutura, abriria uma grande quantidade de alternativas sobre o que poderemos estar a fazer no futuro depois de 2021“, acrescentou o Presidente da Scuderia corroborando, assim, a posição tomada.

A Ferrari quer sempre ser diferente e não gosta que lhe tentem impôr tantas “peças” standard para igualar a contenda. Por esse facto, Marchionne não terá nenhum problema em levar o seu Cavallino para outras “paragens” “Seria completamente benéfico para equilibrar as nossas contas. A F1 tem sido parte do nosso ADN desde o dia em que nascemos, mas isso não nos impede de, a dada altura, seguirmos por um caminho diferente“.

O passo seguinte, após a reunião do Grupo de Estratégia

Apesar de pôr a Liberty contra entre a espada e a parede, desafiando-os a ficarem sem aquela que é a equipa mais lendária da modalidade, o italiano assegura que vão esperar pela reunião do Grupo de Estratégia da próxima terça-feira, durante a qual os novos donos irão explicar mais detalhadamente o seu plano, para decidir qual será o passo seguinte a tomar “Não quero fazer prognósticos. Vamos a uma reunião com as melhores das intenções porque é um assunto que merece toda a nossa atenção e vamos ver onde isto nos leva“.