E foi dia de pagar tributo a Neptuno

E foi dia de pagar tributo a Neptuno

Carrocel, Vela

E foi dia de pagar tributo a Neptuno

Ontem, a frota cruzou pela primeira vez o Equador com o Dongfeng e o MAPFRE a lider enquanto ofereceram aos estreantes as boas-vindas do Deus do Mar, Neptuno.

O Dongfeng Race Team de Charles Caudrelier cruzou na primeira posição da frota a mítica linha do Equador na segunda etapa da Volvo Ocean Race que une Lisboa à Cidade do Cabo. Às 09:41 UTC, a equipa francesa liderava por uma vantagem mínima sobre o MAPFRE, Vestas 11th Hour Racing, Team Brunel e a equipa Akzonobel. Às 11:26 UTC, os cinco barcos do grupo líder haviam cruzado o Equador, con uma distância de menos de 18 milhas náuticas entre eles pese embora que já estão a competir há 9 dias. O Turn the Tide on Plastic e o Sun Hung Kai / Scallywag, em sexto e sétimo lugar respectivamente, a apenas 60 milhas atrás do Dongfeng, cruzaram o Equador algumas horas depois.

Tributo a Neptuno

Com a travessia do equador era tempo das oferendas ao Deus Neptuno, o deus romano do mar. A antiga tradição marítima dita que qualquer navegante que ainda não tenha cruzado o equador seja apresentado perante a corte de Neptuno e entregue o seu tributo para que nela seja admitido.

Em toda a frota havia um total de 21 tripulantes que tinham que passar pelo ritual de iniciação, enquanto que dos sete OBRs apenas Sam Greenfield, do Turn the Tide On Plastic, se conseguiu salvar. Até a capitã do próprio Turn the Tide on Plastic, Dee Caffari, se teve de defender das tentativas dos seus companheiros de equipa já que argumentavam que apesar de contar já com cinco voltas ao mundo no seu curriculum, as suas passagens anteriores pelo Equador haviam sido em solitário.

Tereis de vos esforçar muito para continuarem a afirmar que nunca cruzei a linha do equador“, dizia a rir à sua tripulação amotinada!. “É algo que não vai acontecer, e qualquer revolta será castigada 10 vezes pior“.

Para além de entrarem no Hemisfério Sul, a equipa de Caffari tinha bons motivos para festejar. Subiram um lugar na classificação, superando o Team Sun Hung Kai / Scallywag e também lançaram uma boia de deriva que medirá a salinidade, o CO2 dissolvido e a clorofila-a (algas) e, pela primeira vez, os microplásticos, no Atlântico.

 

Etapa 2 – Parte de posições – 13 de Novembro (día 9) – 13:00 UTC

1.Dongfeng Race Team — distancia à meta – 3.606,5 milhas náuticas
2.MAPFRE +2.9
3.Vestas 11th Hour Racing +9.7
4.Team Brunel +10.6
5.team AkzoNobel +17.9
6.Turn the Tide on Plastic +52.1
7.Sun Hung Kai/Scallywag +61.6