E cumpriram-se as 24h de Le Mans

E cumpriram-se as 24h de Le Mans

Carrocel, Noticias, Velocidade

E cumpriram-se as 24h de Le Mans

Foram 24 horas de emoções fortes, muito cansaço, suor e lágrimas.

Em português e aos 30 anos, o piloto português Filipe Albuquerque melhorou o seu melhor resultado de sempre na prova francesa, superando o sétimo posto obtido em 2015.

Os grandes vencedores da 85.ª edição da prova formaram o trio composto pelo alemão Timo Bernhard e os neozelandeses Brendon Hartley e Earl Bamber, no Porsche 919 Hybrid com o número 2.

Na terceira prova do Campeonato do Mundo de resistência, WEC, Filipe Albuquerque juntou-se ao norte-americano Will Owen e ao suíço Hugo de Sadeleer, aos comandos de um Ligier JSP 217, para cruzar a linha de chegada na quinta posição, com cinco voltas de atraso sobre o trio vencedor.

Bernhard, Hartley e Bamber deram à Porsche a 19.ª vitória na história da ‘prova rainha’ de resistência, e a terceira consecutiva, superiorizando-se aos Oreca-Gibson da Jackie Chan DC Racing e da Vaillante Rebellion, ambos da categoria LMP2.

Desde a edição inaugural da prova, em 1923, que não se viam tão poucas desistências: 11, em 60 inscritos na 85.ª edição da mítica corrida francesa, que ficou marcada pelo calor, que se tornou num obstáculo adicional para os pilotos, e pela rapidez dos protótipos da segunda categoria, onde se registou a volta mais rápida.

A categoria principal foi, ainda assim, a mais ‘sacrificada’, uma vez que só dois do seis LMP1 viram a bandeira axadrezada, o Porsche vencedor e o Toyota TS050 Hybrid de Anthony Davidson, Kazuki Nakajima e Sébastien Buemi, que chagaria em 9º.

Em segundo lugar, e primeiro na categoria de protótipos, terminou a Jackie Chan DC Racing, que juntou o britânico Oliver Jarvis ao chinês Ho-Pin Tung, além da jovem ‘promessa’ francesa Thomas Laurent, de apenas 19 anos, que se estreou em Le Mans com um pódio.

A duas voltas, na última posição do pódio, ficou a equipa do brasileiro Nelson Piquet Jr, o dinamarquês David Heinemeier Hanson e o suíço Mathias Beche.

Quanto aos restantes portugueses, o português Pedro Lamy, ao volante de um Aston Martin Vantage da categoria LMGTE AM, ficou no 37.º posto, juntamente com o canadiano Paul Dalla Lana e o austríaco Mathias Lauda.

O piloto de 44 anos ficou aquém dos melhores resultados que já alcançou na prova, nomeadamente os segundos lugares de 2007 e 2011 e a vitória na classe GTE Am em 2012, tendo sido oitavo na prova de hoje.

Álvaro Parente, que se juntou a Richard Wee, de Singapura, e a Hiroki Katoh, do Japão, terminou quatro posições abaixo, com um Ferrari 488 GTE da mesma categoria de Lamy.

Foi a primeira vez que o piloto portuense, de 31 anos, completou a ‘mítica’ corrida, depois de ter abandonado a corrida em 2014.

A equipa portuguesa Algarve Pro Racing, que colocou o francês Vincent Capillaire e os norte-americanos Mark Patterson e Matt McMurry aos comandos de um Ligier JSP 217, terminou a prova no 33.º lugar, uma prestação bastante abaixo do 16.º lugar alcançado em 2016.