'Dream Team' a postos para alinhar talvez pela última vez no Dakar

‘Dream Team’ a postos para alinhar talvez pela última vez no Dakar

Carrocel, Dakar

‘Dream Team’ a postos para alinhar talvez pela última vez no Dakar

Concluída que está a sua sétima e última sessão de testes em Marrocos, o Team Peugeot Total – que conquistou os três primeiros lugares no Rali Dakar deste ano – está a postos e fortemente motivado para enfrentar a próxima edição da clássica prova sul-americana, que se disputará entre 6 e 20 de Janeiro de 2018. Stéphane Peterhansel/Jean Paul Cottret, Sébastien Loeb/Daniel Elena, Carlos Sainz/Lucas Cruz e Cyril Despres/David Castera vão estar aos comandos de um novo ‘leão do deserto’

  • O ‘Dream Team’ da Peugeot vai ter pela frente 10.000 km de competição numa das mais difícil odisseias de resistência do mundo, que atravessará o Peru, a Bolívia e a Argentina. O percurso vai levar os concorrentes por dunas de areia, passagens de montanha e desertos ao longo das 15 etapas repletas de espectaculares paisagens e condições meteorológicas extremas. O percurso oficial do rali será confirmado pela organização do evento, A.S.O, no próximo dia 22 de Novembro.

 

  • Embora as formações do Team Peugeot Total não tenham sido alteradas para 2018, os seus carros foram amplamente modificados para maximizar o nível de performance, e têm agora um novo nome: Peugeot 3008DKR Maxi. A arquitectura de base, desenvolvida a partir da versão de Estrada do SUV Peugeot 3008 vencedor do troféu “Carro do Ano Europeu 2017”, não sofreu alterações: duas rodas motrizes animadas por um motor de 3.0 litros biturbo. Contudo, as vias foram alargadas em 10 cm de cada lado para melhorar a estabilidade, tendo também sido feitos alguns melhoramentos ao nível da suspensão, reforçando as características de condução. Os engenheiros e os mecânicos da Peugeot têm trabalhado arduamente no sentido de proporcionar aos pilotos um carro o mais fiável possível para a difícil missão que os espera.

 

  • Todas as quatro formações testaram exaustivamente o novo Peugeot 3008DKR Maxi, tendo realizado mais de 18.000 km de testes em Morrocos, Portugal e França. Porém, todos sabem que os novos regulamentos não favorecem o Team Peugeot Total, tendo em conta o aumento de peso mínimo imposto ao Peugeot, enquanto que os rivais viram o seu peso mínimo diminuído e têm também mais margem de manobra noutras áreas. Mas, como sempre no Dakar, o maior desafio é o próprio rali.

 

  • Entre eles, os elementos das formações da Peugeot somam qualquer coisa como 19 vitórias no Dakar, em motos e automóveis, mais 148 vitórias em troços cronometrados, o que faz deste conjunto a equipa mais bem sucedida de sempre do Dakar. Mas, apesar deste brilhante palmarés, a Peugeot mantém-se reservada em relação a perspectivas para o Dakar 2018, que assinala o 40º aniversário da prova (a qual a Peugeot venceu por seis vezes, tendo a primeira vitória ocorrida em 1987 com o Peugeot 205T16 Grand Raid), bem como o 10º aniversário do Dakar na América do Sul.

 

Stéphane PETERHANSEL “A sensação de vencer outra vez o Dakar no ano passado foi absolutamente fantástica: senti uma enorme libertação. Depois da intensa, mas respeitosa, batalha com o Sébastien, ficou mesmo como uma das melhores recordações da minha carreira. O problema é que quanto mais vezes vencemos, mais queremos vencer outra vez! Este ano vai ser ainda mais especial, pois é a 40ª edição da prova e a minha 299ª participação. Se será ou não a minha última participação, ainda está por decidir. Para mim, o Dakar é mesmo uma questão de equilíbrio, como se fosse um ritual que dura o ano inteiro. Recarregamos as baterias, preparar-nos física e mentalmente. A tensão começa a aumentar por volta de Setembro e transforma-se em pura emoção em Dezembro, quando a única coisa em que pensamos é arrancar e fazer quilómetros, e quando as coisas começam, a única coisa que nos passa pela cabeça é andar a fundo. Para mim, é algo de realmente único poder conduzir por estas paisagens magníficas, sempre a fundo num carro tão espectacular. O Peugeot 3008DKR Maxi é, pura e simplesmente, o melhor carro que alguma vez conduzi. Tem imensa tecnologia, como as peças em fibra de carbono que compõem a sua estrutura, aliada à fiabilidade, è performance e ao puro prazer de condução. Para nós no Team Peugeot Total, o objectivo é fazer com que a Peugeot vença outra vez e encerrar o nosso programa na forma mais positiva possível.”