Assim está a grelha da F1 de 2018 após o anúncio da Toro Rosso

Assim está a grelha da F1 de 2018 após o anúncio da Toro Rosso

Carrocel, Formula 1

Assim está a grelha da F1 de 2018 após o anúncio da Toro Rosso

Restam apenas três vagas em apenas duas escuderias com vários pilotos candidatos a esses lugares para a próxima temporada do Mundial de Fórmula 1.

A grelha de 2018 do Mundial de Fórmula 1 está praticamente fechada depois da confirmação oficial da Toro Rosso, que manterá Pierre Gasly e Brendon Hartley na próxima temporada. O francês era já uma séria possibilidade após a saída de Carlos Sainz, mas a contratação do neozelandês foi uma das grandes surpresas da temporada no paddock.

Se depois da corrida de Singapura, com o acordo McLaren-Renault-Red Bull definido e fechado, havia sete volantes livres para o próximo ano, agora restam quatro assentos sem “dono” oficial, ainda que um deles esteja “adjudicado” de forma oficiosa. As escuderias em causa são a Williams e a Sauber.

No caso dos britânicos, é seguro afirmar a continuidade de Lance Stroll porque integra o projecto da Williams, este ano subiu ao pódio (Azerbaijão, 3º) para além de que o seu pai tem uma posição de destaque na empresa. No entanto, ainda não foi anunciado. É também e agora já oficial que Massa não fará parte da equipa de Grove que, por sua vez, já realizou testes com Robert Kubica e Paul di Resta, para perceberem quem é o mais indicado para se sentar no carro no próximo ano. É apertada a diferença entre eles, porém e ao que consta, o polaco conta com o apoio do paddock: são muitos os pilotos que querem voltar a ver uma estrela do automobilismo no Mundial de F1.

Relativamente à Sauber, também se espera a todo o momento um anúncio sobre a formação da equipa. Actualmente têm o sueco Ericsson e o alemão Wehrlein. E pode acontecer que continuem ambos ou nenhum, embora Ericsson pareça estar mais bem posicionado à continuidade. Isto não obstante haver quase certezas de que um dos volantes irá parar à Ferrari, seja Charles Leclerc (campeão de F2) ou Antonio Giovinazzi. O primeiro, monegasco, parte para esta contenda com alguma vantagem. Mas… o segundo tem uma relação próxima da Haas, tendo já participado em vários treinos livres desta escuderia, ainda que Magnussen e Grosjean tenham contrato para 2018.

A grelha de 2018:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Foto: Mark Thompson