Alinhados de norte para sul, aproximam-se dos Doldrums

Alinhados de norte para sul, aproximam-se dos Doldrums

Carrocel, Vela

Alinhados de norte para sul, aproximam-se dos Doldrums

As diferenças estão a diminuir à medida que a frota se aproxima do ponto intermédio da 6ª etapa, a passagem pelos Doldrums.

Com a frota da Volvo Ocean Race no sul a beneficiar de ventos favoráveis, a equipa do AkzoNobel está a liderar a aproximação aos Doldrums, que ainda estão a cerca de 600 milhas de distância.

A frota está a ficar mais alinhada de norte para sul, com menos alavancagem leste / oeste do que há 24 horas atrás.

Leg 6 to Auckland, day 08 on board Brunel

O Scallywag, ainda está mais a oeste e a fazer um esforço notório para chegar ao leste com o resto da frota. No entanto, chegou com um ónus de mais de 20 milhas na tabela de classificação. Os Scallywags permanecem no segundo lugar atrás do líder, AkzoNobel, que navega rápido e num ângulo mais favorável para o sul.

Estamos poucas milhas à frente dos que estão atrás de nós, e temos o Scallywag a sotavento“, disse Nicolai Sehested, do AkzoNobel. “É uma posição complicada, pois não sabemos como as coisas vão evoluir com o Scallywag.

Velocidade é crucial. Um pouco de sorte também é precisa … Para já estamos numa posição forte já que fomos os mais rápidos nos últimos dias. Nós mantemos o barco num bom modo. Não posso dizer o que fizemos, mas fomos rápidos e senti-mo-nos confortáveis.

Espero que a nossa velocidade nos faça chegar em primeiro aos Doldrums. E se o primeiro a chegar for o primeiro a sair, isso é que seria muito bom para nós “.

O MAPFRE mantém um duelo de match-racing com o Dongfeng, e são os que estão mais próximos do duo da frente, enquanto também se dirigem para os Doldrums.

Actualmente, temos o Dongfeng a cerca de uma milha e meia para barlavento, até menos … é uma luta muito apertada. Tudo muito à justa“, disse Blair Tuke, do MAPFRE.

O AkzoNobel e o Scallywag estão à frente e a sotavento de nós. O AkzoNobel foi bastante bom em todos os parâmetros, mas conseguimos recuperar um pouco em relação ao Scallywag. Espero que esta próxima transição funcione a nosso favor e possamos alcançá-los, como eles fizeram connosco na última transição“.

Para o skipper do Dongfeng, Charles Caudrelier, a intensidade não é novidade. Mas ele ainda arranjou tempo para fazer um telefonema para os seus companheiros no MAPFRE.

Nas últimas 24 horas, a distância máxima entre nós e o MAPFRE foi de cerca de 500 metros, menos do que a nossa última regata costeira na China“, observou.

Eu tentei ligar-lhes mais cedo, mas eles provavelmente não estavam de bom humor depois de esta manhã os termos ultrapassado, e não atenderam.” ironizou Caudrelier

Agora, toda a frota vai na mesma direcção e está a procurar a melhor passagem por esses terríveis Doldrums à nossa frente, aproveitamos o tempo para descansar após os primeiros dias muito difíceis“.

O descanso não vai durar muito tempo. No fim de semana os Doldrums entram em jogo.

 

6ª etapa – Classificação geral – Quarta-feira, 14 de Fevereiro (Dia 7) – 13:00 UTC

1 – AkzoNobel – distância até ao final – 3087,65
2 – Sun Hung Kai / Scallywag +28,93
3 – MAPFRE +47,32
4 – Dongfeng Race Team +49,02
5 – Brunel +59,42
6 – Turn the Tide on Plastic +83,35
Vestas 11th Hour Racing – NÃO PARTICIPA

 

Photos: James Blake e Yann Riou/Volvo Ocean Race