AkzoNobel lidera a frota na saída de Hong Kong

AkzoNobel lidera a frota na saída de Hong Kong

Carrocel, Vela

AkzoNobel lidera a frota na saída de Hong Kong

A equipa do skipper Simeon Tienpont, o AkzoNobel, liderou a frota da Volvo Ocean Race na linha de partida em Hong Kong, esta manhã, quando a 6ª etapa começou.

A regata começou com um vento ligeiro, 8-10 nós de leste, o AkzoNobel, SHK / Scallywag e o Brunel, foram os primeiros a cruzar a linha, com a frota a fazer uma saída à bolina.

Mas pouco depois, o vento aumentou para 15 a 20 nós, e as enormes velas foram içadas. Prevê-se que as condições se deteriorem ainda mais nas próximas 24 horas.

Vai ser predominantemente contra o vento, e vai ser difícil nos primeiros dias“, disse Dee Caffari, do Turn the Tide on Plastic.

Pode ser bastante difícil sair de Hong Kong“, concordou Simeon Tienpont do AkzoNobel. “Eu não ficaria surpreendido se apanharmos ventos bastante fortes“.

Com uma previsão de ciclones tropicais que podem atingir a frota, a direcção da regata adicionou uma zona de exclusão, que se estende por 20 graus de longitude a leste das Filipinas.

A maioria dos programas de previsão de rotas, sugere que a rota mais rápida é para o norte e leste da zona de exclusão, e isto assegurará que a frota evite as piores condições de mar.

A etapa da Volvo Ocean Race levará a frota através do Estreito de Luzon e, em seguida rumarão para leste até que os barcos mergulhem para sul através dos Doldrums, depois seguem por sudeste até a ponta norte da Nova Zelândia.

É uma longa etapa até Auckland, cerca de 6.000 milhas náuticas, é quase a mesmo distância da 4ª etapa, até aqui”, disse Xabi Fernández, o skipper do líder da competição, o MAPFRE. “O inicio será importante, como de costume“.

Se olharmos para os modelos meteorológicos, veremos que será muito duro desde as primeiras 36 a 48 horas“, disse o skipper do Brunel, Bouwe Bekking. “Existem diferentes opções de rota. Se se escolher a errada, pode ficar-se imediatamente umas centenas de milhas atrás

Mas, não há ainda tanta preocupação para Bekking – três horas após a largada o Brunel estava na frente de uma tabela de classificação compacta, com a Nova Zelândia ainda a cerca de 6.000 milhas náuticas de distância.

 

6ª etapa – Classificação geral – Quarta-feira 7 de Fevereiro (Dia 1) – 11:00 UTC

1 – Brunel – distância até o final – 5433,7 milhas náuticas

2 – MAPFRE +0,5

3 – AkzoNobel +0.7

4 – Dongfeng Race Team +0,7

5 – Sun Hung Kai / Scallywag +1,0

6 – Turn the Tide on Plastic +1.9

Vestas 11th Hour Racing – NÃO PARTICIPA

 

 

Photo: Pedro Martinez/Volvo Ocean Race