Ainda que sem a estrela da companhia, o saldo é positivo!

Ainda que sem a estrela da companhia, o saldo é positivo!

Carrocel, Dakar

Ainda que sem a estrela da companhia, o saldo é positivo!

Todas as vezes que o Rally Dakar atinge a etapa boliviana, há sempre hipótese de a meteorologia “brincar” ao spoilsport. Mantendo-se fiel à tradição, a primeira parte da 6ª etapa do Rally Dakar de Arequipa para La Paz teve que ser cancelada devido ao mau tempo e às condições de neblina para os pilotos. A 6ª etapa foi reajustada e foi limitada a apenas 194 km de secção cronometrada, contra os originalmente previstos 313 km, mas não sem antes os pilotos passarem por condições extremas de neve, temperaturas negativas e chuva e tudo isto a uma altitude de 4800 m.

Ambos os pilotos ainda em prova da Hero MotoSports Team Rally, recordamos ser a equipa de que faz parte o nosso malogrado Joaquim Rodrigues, decidiram rolar seguros e cautelosos com o objectivo de completar com sucesso a 1ª metade do Rally Dakar sem qualquer outro incidente indesejado. Oriol Mena continuou a realizar a corrida sólida para terminar na 23ª posição do dia para um 21º lugar à geral. CS Santosh continuou a sua ascensão na classificação, apesar de um tornozelo problemático, resulatnte de um acidente anterior. Terminou a etapa na 38ª posição e, à geral, chegou ao dia de descanso no 51º lugar.

Para resumir a primeira metade da prova para a equipa, não fora o percalço sofrido pelo piloto português, poderia dizer-se que foi um excelente começo para a equipa com duas etapas muito boas de CS Santosh, depois seguiram-se-lhe umas quantas dificuldades e depois um progresso muito positivo do rookie Mena, especialmente na difícil etapa 5. Afinal, podemos até dizer que tem sido um bom Dakar até ao ponto em que a equipa tem conseguido lutar, tudo o que o Dakar os desafiou até agora e está forte e determinada para a segunda metade do desafio.

Quando os concorrentes entraram no pódio frio e chuvoso de La Paz, o entusiasmo e o calor dos milhares de pessoas que se aglomeraram em torno da zona, enfrentando o mau tempo com a alegria estampada no rosto, deram-lhes uma verdadeira “lição de Heroes“. Os pilotos desfrutaram ontem de um merecido dia de descanso, para descansar os corpos e as mentes cansados ​​e para depois partirem, hoje, para a segunda metade da prova.

A próxima etapa vai levar os concorrentes de La Paz no dia 13, de Janeiro, para a primeira etapa maratona de 425 km até Uyuni. De acordo com os regulamentos, os pilotos não poderão receber assistência técnica durante a noite em Uyuni e estarão, literalmente, por conta própria.

Oriol Mena #61 comentou antes de descansar “Hoje foi um dia difícil devido à chuva, então eu decidi optar pela segurança. Tenho a minha mente focada em cruzar a linha de chegada em Córdoba, pelo que eu não queria cometer nenhum erro antes da metade do caminho. Hoje decidi trocar a segurança pela velocidade, mas não importa, pois ainda há um longo caminho para percorrer no rali. Agora amanhã descansamos e no dia seguinte, começamos a festa novamente!

C.S Santosh #49 “A Bolívia sempre foi o ponto de viragem no Dakar. Estava mesmo muito frio na partida desta manhã e a ligação foi muito longa. Para piorar as coisas começou a chover. Hoje não tivémos pó, pelo que eu sabia que era minha melhor hipótese para passar alguns adversários e eu tentei, claro está, tirar o máximo partido da oportunidade. No geral, foi um bom dia e eu trouxe a moto para “casa”. Agora descansamos por um dia e depois arrancamos para a etapa final do Dakar “.